A Bíblia fala dos Dinossauros?

dinossauros

As perguntas são muitas quando tratamos desse assunto à luz da Palavra de Deus, porque devido às falsas teorias muitas pessoas têm se sentido inseguras e receosas em associar o estudo dos dinossauros com a Bíblia. Devemos ter em mente que os dinossauros, são ou foram animais que, em geral, diferem das outras espécies que temos atualmente sobre a terra, principalmente pela sua estatura elevada, lembrando ainda que existem alguns dinossauros pequenos, do tamanho aproximado de uma lagartixa atual. Amigo(a) Leitor(a) peço a você que olhe para a Palavra de Deus com coração sincero, e então veremos o amor infinito do nosso Deus e maravilhoso Criador atuando, não só no passado, mas, no presente e no futuro, em favor das Suas maravilhosas criações, que revelam Seu eterno Poder, e infinita Sabedoria.

“Porque assim diz JEHOVÁH, que tem criado os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a confirmou, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: eu sou JEHOVÁH, e ninguém mais.” (Isaías 45.18; Almeida 1860, com grafia atualizada)

Na biologia os dinossauros são classificados como répteis, sendo assim a Bíblia Almeida completa desde 1750 em Gênesis 1.24–25 declara:

 “E Deus disse: produza a terra alma vivente segundo sua espécie: gado e répteis, e bestas feras da terra segundo suas espécies: e foi assim. E fez Deus as bestas feras da terra segundo suas espécies, e o gado segundo sua espécie, e todo réptil da terra segundo sua espécie: e viu Deus, que era bom.” (Gênesis 1.24-25; Almeida 1860, com grafia atualizada)

Contudo, muitas pessoas têm afirmado que a Bíblia não fala sobredinossauros”, pois tal palavra não encontra-se na Escritura Sagrada. Essa questão é respondida quando estudamos a origem do termodinossauro” que só veio a ser inventado em 1841, pelo médico inglês Gideon Mantell, que encontrou ossos e dentes de um grande animal, que ele achou semelhante aos de uma iguana, denominando-o de Iguanodon (“dente de Iguana”). Posteriormente, dois enormes fósseis foram encontrados na Inglaterra, o de um Megalosaurus e o de um Hylaeosaurus. Apenas em 1841 receberam um nome para seu grupo. Atualmente são catalogados cerca de 2000 espécies diferentes, divididas em 650 gêneros, e são descobertos em média 12 novas espécies por ano. Apesar do termo “dinossauro” só ser inventado em 1841, esse animal sempre existiu independente do nome que viesse a receber: monstro, besta, dragão, criatura, dinossauro etc. A versão inglesa da Bíblia – KJV (King James Version) escrita em 1611 já falava a respeito dos ‘grandes animais’, e a versão da bíblia portuguesa Almeida escrita em 1681, e terminada em 1750 já falava em que posteriormente viemos a chamar de dinossauros. Partindo da certeza que os dinossauros fazem parte da criação de Deus, afirmo a você, Amigo(a) Leitor(a), que a Palavra de Deus, A Bíblia, também trata desse assunto! Analisemos então…

Gênesis 1.20-24 – “Imaginemo-nos agora no início do quinto dia criativo, sim, à provavelmente milhões de anos atrás, quando Deus já havia criado coisas maravilhosas tanto sobre a terra como no vasto e imenso universo, sim imagine… o sol, a lua, a terra, os mares, a águas, montanhas, árvores, e diversos tipos e espécies de plantas já existiam naquele tempo foi então quando a voz do Criador disse: “Encham-se as águas de seres vivos, e voem as aves sobre a terra, sob o firmamento dos céus!” (Nova Versão Internacional); O relato da Bíblia ao contrário de suposições e especulações, contém no primeiro capítulo de Gênesis, a simplicidade, porém precisa ordem geral da criação. Dá margem a possivelmente bilhões de anos para a formação da Terra e de muitos milênios, em seis éras criativas, ou “dias” figurados, de preparação da Terra para a habitação humana, vale destacar também que alguns dinossauros (e pterossauros) se enquadram deveras terem sido criados no “quinto dia criativo” alistado em Gênesis, quando a Bíblia diz que Deus fez “répteis”“grandes monstros”; Após isso, outros tipos de dinossauros foram criados consecutivamente por Deus no “sexto dia criativo”, também é notável a ampla variedade de dinossauros, que com seu enorme apetite, foi muito apropriada, considerando-se a abundante quantidade de árvores e plantas (fauna e flora primitivas) que evidentemente, já existia desde o “terceiro dia criativo”. (Gênesis 1:9-13) Ao que tudo indica, quando por fim os dinossauros tinham cumprido seu propósito, Deus pôs fim à vida deles. Mas a Bíblia silencia sobre como o Criador fez isso, ou quando. Podemos estar seguros de que os dinossauros foram criados por Deus com um propósito, mesmo que, na atualidade, não entendamos plenamente esse propósito; Não eram nenhum engano, nenhum produto da evolução; Os dinossauros surgirem repentinamente nos fósseis, sem terem ligação alguma com quaisquer antecessores fósseis, e desaparecerem também sem deixar elos fósseis de ligação, é evidência contrária ao conceito de que tais animais evoluíram gradualmente no decorrer de milhões de anos; Assim, os fósseis não apóiam a teoria da evolução, mas em vez disso, eles se harmonizam com o conceito da Bíblia sobre os atos criativos de Deus.

Jó 40.15-24 – “Observe que Deus, ao falar com Jó, estava demonstrando Sua infinita sabedoria, poder e majestade e para isso utilizou um exemplo que era bem familiar a Jó, para que ele pudesse ter um ponto de referência para compreender o que Deus estava lhe falando.”

(Jó 40.15 – Beemote) O verbo aqui utilizado, no manuscrito (hebraico), é Behemoth e não hipopótamo. Ao observarmos as características físicas desse animal concluiremos que se trata de outro animal que não é o hipopótamo. Ao observarmos a descrição de tal animal, feita pelo próprio Todo-Poderoso neste versículo: “que eu fiz tanto quanto a ti destaca a afirmação feita por Deus, pois assim como Ele criou o homem, criou também tal criatura da mesma forma, isto é, da terra. (Gn 2.7; 3.19)

(Jó 40.16-17)  A descrição bíblica no v.16 indica que o animal era muito grande, e possivelmente herbívoro, pois nos diz: “Eis que sua força está nos seus lombos, e o seu poder nos músculos do seu ventre, no v.17 “Quando quer, move a sua cauda como cedro, os nervos das suas coxas estão entretecidos  indica que este grande animal possuía uma cauda muito grande e potente, pois é comparada com o cedro – árvore alta, forte, e resistente. Se um hipopótamo, ou mesmo um elefante, possuísse uma cauda como é descrito no v.17 seriam bem diferentes do que conhecemos hoje, pois tanto o hipopótamo como o elefante possuem cauda muito inferior quando comparado com à do grande animal descrito na Bíblia.

(Jó 40.18-19) O v.18 diz sobre os ossos deste grande animal: “Os seus ossos são como tubos de bronze, a sua ossada é como barras de ferro. (Almeida Revista e Corrigida, 1969) Quer algo mais claro e óbvio do que isso? Quais são os ossos mais resistentes que você talvez conheça? Sim! É o dos DINOSSAUROS! Neste versículo o próprio Criador nos esclarece algo mais, agora relativo ao tempo: É o princípio dos caminhos de Deus.” (TNM, 1967) sim, os Dinossauros foram o princípio dos caminhos ou criações de Deus na terra!

(Jó 40.20-23) v.20 indica claramente que tal animal era herbívoro; nos faz lembrar até mesmo de Jurassic Park! A declaração dos vs.21-22 é que tal animal se alimentava em lugares altos, diferente do hipopótamo e do elefante. Juntamente com o v.23 concluímos que se trata de um animal muito grande e pesado, pois não se alarma com enchentes, mesmo de um rio como o Jordão, com um considerável volume de águas.

(Jó 40.24) No último versículo que fala sobre este grande e pré-histórico animal, o próprio Deus pergunta à Jó: Pode alguém toma-lo diante dos seus olhos?” Assim, com esta curta, porém, profunda e impactante pergunta, o Senhor Deus nos transmite que homem algum tem o poder de fazer o beemote (dinossauro) tornar a viver novamente, a não ser por Ele mesmo; Também esta pergunta nos indica que mesmo no tempo de Jó (por volta de 1.500 A.E.C) os dinossauros já eram animais extintos à muito tempo, sim, muito antes de Adão e Eva existirem.(Gn 2.1-25)                                    

Compare o Beemote bíblico, e veja por si mesmo que este animal não se caracteriza com o Hipópotamo, ou Elefante modernos…Mas é o Braquiossauro, cuja “cauda é como o cedro”!
A Almeida Revista e Atualizada traduz tal animal como ”hipopótamo”, porém o hipopótamo não é encontrado na região geográfica que descreve esse acontecimento bíblico. Segundo alguns pesquisadores, principais paleontólogos, e até cientistas afirmam que tal animal é identificado, hoje, com o  Braquiossauro (foto acima), ou outra espécie da família  dos dinossauros saurópode.
Jó 41.1-34 – “Observe os principais versículos contidos nesse capítulo, analise comigo o verbo: “Leviatã” em Sua Bíblia, vejamos agora porque o animal aqui descrito não se trata simplesmente de um crocodilo ou jacaré.” 

(Jó 41.1  Leviatã) O verbo aqui utilizado, no manuscrito (hebraico), é Leviathan, e não crocodilo.

(Jó 41.2-21) Faz-se menção acerca de travar a língua do leviatã com uma corda, mas o crocodilo, assim como o jacaré, não possui uma língua solta, mas presa à parte inferior de sua boca. Jehováh continua sua explanação com  descrevendo de forma detalhada as características físicas de tal animal. cf. (Jó 41.18,19,20,21,31,32) – Nesses versículos encontramos a afirmação de que o Leviathan, aos olhos humanos, cuspia fogo. Seria isso possível? O fato é que essa informação tem feito com que muitas pessoas passassem a afirmar que o texto utiliza uma linguagem figurada, pois não existe animal que “cuspa fogo”. Muitas pessoas, como já falamos, por falta de informação fazem afirmações que terminam por comprometer a veracidade da Bíblia. Alguns contestam o fato alegando ser impossível um animal realizar tal ação, contudo esquece-se que outros animais produzem energia, como o peixe elétrico, e outros que produzem luz, como algumas espécies de animais marinhos, e o ‘vaga-lume’. Em casos como esses, alguns cientistas se colocam como omissos, conhecendo a verdade, todavia escondendo-a da população, pois tais informações irão desmoronar suas teorias e comprovar os relatos bíblicos. Sabemos da existência de um besouro conhecido por alguns como besouro bombardeiro ou escaravelho – bombardier beetle. Esse animal possui em seu interior um sistema de ‘bolsas’ que é capaz de armazenar substâncias inflamáveis como ahidroquinona e peróxido de hidrogênio que ao entrar em contato com o ambiente inflama. Esse besouro utiliza esse recurso para defesa e ao observarmos temos a impressão que o animal está expelindo fogo de seu corpo. Esse recurso é bem eficiente na defesa do besouro, já que o produto inflamável está a uma temperatura de 212°F (100°C) e é protegido pelo uso de um inibidor natural, não prejudicando o seu portador. Essa informação não seria tão interessante se não fosse pelo fato de três animais pré-históricos (dinossauros) terem sido encontrados com características semelhantes às do bombardier beetle.Tais animais são o Kronossauro, o Hadrossauro e o Plesiossauro. Ao estudar-se a estrutura craniana do Hadrossauro,constatou-se que o seu crânio possuía órgãos, bexigas e câmaras bem semelhantes às do besouro, permitindo que o Hadrossauro (Hadrossaur parasaurolophus) não só criasse, mas armazenasse e lançasse produtos químicos inflamáveis para proteger-se, ou atacar, sem queimar-se ou machucar-se. O que sabemos de real é que tal animal existiu, foi relatado na Bíblia e também fez parte da Criação de Deus. Se um animal pequeno pode produzir produtos químicos inflamáveis a uma temperatura de 100°C e não queimar-se, nada impede que um animal de grande porte com características imensamente semelhantes também o fizesse. 

(Jó 41.22) Neste versículo destaca-se para nós: “No seu pescoço pousa a força; perante ele até a tristeza salta de prazerAgora observamos que a força desse animal reside no pescoço, porém a força de um crocodilo reside na cauda e na mandíbula, não no seu pescoço; Mais uma vez percebemos que tal animal não é um crocodilo ou um jacaré!

(Jó 41.27) “Para ele, o ferro é palha, e o cobre, pau podre.(Revista e Atualizada,1993) As características físicas deste grande animal demonstram que ele possui uma resistência física bem superior a qualquer crocodilo existente hoje, mesmo os pré-históricos já encontrados.

(Jó 41.30) “Debaixo de si tem conchas pontiagudas; estende-se sobre coisas pontiagudas como na lama” Sabemos que o ventre dos crocodilos são lisos e não possuem escamas pontiagudas como observamos no relato bíblico, observamos também que o Leviatã possuía escamas pontiagudas no ventre. 

(Jó 41.33-34)“Na terra não há coisa que se lhe possa comparar, pois foi feito para estar sem pavor. Ele vê tudo que é alto; é rei sobre todos os filhos da soberba” Ao observarmos a descrição do tamanho do animal percebemos que o mesmo é de grande porte, pois “olha com desprezo tudo o que é alto”. Ao contrário dos crocodilos que, dependendo da espécie, podem chegar a 5 metros ou mais de ‘comprimento’ e não de altura, tais animais eram muito altos. Em geral, os crocodilos são baixos e não altos como descreve o texto bíblico.

Concluindo, podemos estar certos de que a Bíblia tem se demonstrado verídica tanto em sentido teológico e jurídico,  e mesmo nos dias de hoje esmagadoramente a Bíblia também tem se demonstrado tanto profeticamente como cientificamente exata, provando o que ela verdadeiramente é: A PALAVRA DE DEUS!

Fim do Artigo.

==================

Anúncios

3 comentários sobre “A Bíblia fala dos Dinossauros?

  1. a criação foram 6 dias literais não há universo nem planetas visto que DEUS fez a terra plana protegida por uma cúpula….. milhões de anos por favor doutrinas luciferianas darwinistas misturadas com criacionismo? que biblia andam a ler ensinam a VERDADE estão a fala do deus da nova era não

    Curtir

    1. Obrigado pelo comentário Nelson, não sei o que vc crê ou não crê, e penso que NÃO acredites que Deus criou a terra em 6 dias literais de 24hs, pois isso é o cúmulo do absurdo…isto entra em completa desarmonia com a lógica e a ciência, e a bíblia é TOTALMENTE compatível c/ a ciência, e a física; Há 3 principais interpretações teológicas para o assunto levantado por vc, e entre essas mesmas estão:
      1º”Que o Senhor Deus criou a terra o mundo e tudo o que nele há em 6 dias criativos de 1.000 anos cada” (Essa também é uma boa interpretação, porém está em menor grau de compatibilidade c/ a ciência);
      2º “Que o Senhor Deus criou a terra o mundo e tudo o que nele há em 6 dias de 24hs cada” (Essa está mais para ‘teoria surreal’, visto que o nosso sol e a lua como a conhecemos hoje só viriam a ser criados no 4ºdia criativo);
      3º “Que o Senhor Deus criou a terra o mundo e tudo o que nele há em 6 dias criativos de milhões e milhões de anos cada” (Essa está em a mais plena harmonia tanto com a ciência como c/ a bíblia, visto que a bíblia não fala especificamente quanto tempo levou cada dia criativo, e em Gênesis 2.2 indica que ainda estamos vivendo no período do sétimo dia, este não criativo, mas de descanso de Deus).

      Gostaria de deixar para vc a palavra de 2ªPedro 3.8 que diz: “Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia”, afinal não podemos ainda entrar e estar sob o mesmo tempo de Deus…Um grande abraço, continue com o estudo sério, sincero, e comprometido com a Palavra de Deus, e que Ele mesmo lhe abençoe e lhe guie por meio de Seu Espírito Santo !!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s