A Bíblia de Genebra

Bíblia de Genebra, 1560
Bíblia de Genebra, 1560

A Bíblia de Genebra é a mais significativa da história de todas as traduções da Bíblia para o Inglês, precedeu a famosa versão King James. Foi a principal Bíblia do século 16 e do início do protestantismo; era a Bíblia usada por homens importantes como: William Shakespeare, Oliver Cromwell, John Knox, John Donne, e John Bunyan. A Bíblia de Genebra foi muito usada também por muitos dissidentes ingleses; esta versão da Bíblia Sagrada é significativa porque, foi a primeira vez, que uma Bíblia foi impressa mecanicamente, sendo produzida em massa, e disponibilizada diretamente para o público em geral, foi a primeira Bíblia a usar numeração e divisão nos versículos, foi a primeira Bíblia a ter uma edição prática de bolso, e foi a primeira Bíblia de Estudo, possuindo notas comentadas; A Bíblia de Genebra foi impressa com uma variedade de guias, e auxílios de estudo para as Escrituras, que incluía para o leitor: ‘notas’ – comentários com aspectos doutrinários, geográficos, e históricos, além de apresentar variante de tradução, ‘citações do versículo’ – que identificava citações do A.T. presente no N.T., ‘referências cruzadas’ – um versículo com inúmeros versos relevantes no resto da Bíblia, ‘introduções’ – presente em cada livro da Bíblia, agia para resumir todo o material que cada livro cobriria, além de ‘mapas’, ‘tabelas’, ‘ilustrações em xilogravura’, bem como outros recursos incluídos, todos de que acabaria por levar à reputação da Bíblia de Genebra como a primeira Bíblia de Estudo da história! É notável destacar também a linguagem da Bíblia de Genebra, que por ser mais forte, porém  clássica, e bela, a maioria dos leitores preferiram  fortemente esta versão, ao invés da anterior Grande Bíblia, ou Bíblia Acorrentada em estilos gótico, com letras em negrito forte, e sem numeração de versículos.

O Início da Tradução em Genebra (1553-1560)

Durante o reinado da rainha Maria I da Inglaterra (1553-1558), um número considerável de estudiosos protestantes fugiram da Inglaterra para Genebra, na Suíça, sendo então governada como uma república, na qual João Calvino e, mais tarde o teólogo Theodore Beza estavam liderando. Entre esses estudiosos estava William Whittingham, que supervisionava a tradução que veio a ser conhecida como Bíblia de Genebra, em colaboração com Myles Coverdale, Christopher Goodman, Anthony Gilby, Thomas Sampson, e William Cole; Whittingham foi diretamente responsável para o Novo Testamento, que foi concluído e publicado em 1557, enquanto Gilby supervisionava o Antigo Testamento, assim em 1560 estava completa a Tradução completa da Bíblia de Genebra!

Impressão e distribuição na Inglaterra e na Escócia (1560-1599)

A primeira edição completa desta Bíblia, com uma nova revisão do Novo Testamento, apareceu em 1560 (foto 1), mas não foi impressa na Inglaterra até 1575 (Novo Testamento) e 1576 (Bíblia completa). Mais de 150 edições foram impressas; a última, provavelmente, em 1644. A primeira Bíblia impressa na Escócia foi uma Bíblia de Genebra, que foi impressa pela primeira vez em 1579. De fato, a Bíblia de Genebra tornou-se especialmente apelada na Escócia, onde foi aprovada uma lei em 1579 que exigia que todos os lares de meios financeiros suficientes, deveriam comprar uma cópia da Bíblia de Genebra.

Bíblia de Genebra, edição de 1599, produzida na Inglaterra.
Final de Ezequiel e início de Daniel, Bíblia de Genebra, edição de 1599, produzida na Inglaterra.

As notas da Bíblia de Genebra causam polêmica (1599-1611)

As notas foram uma parte importante da Bíblia de Genebra, mesmo tendo teologia calvinista e puritana, algumas notas desafiavam o “direito divino” dos reis, da Igreja Católica, e até mesmo do direito ao papado! E como tal, elas desagradaram os clérigos anglicanos, a monarquia da Inglaterra, e a Igreja Católica, e embora todos reconhecessem em particular a excelência da tradução em si, a hierarquia da Igreja Anglicana publicamente objetava a ela por considerar radical o tom usado nas notas. Matthew Parker, na época arcebispo de Cantuária, chamou-as de “notas prejudiciais diversas”. O Rei James I as considerava “muito parciais, incorretas e sediciosas”. Sendo assim, em 1604, o Rei James I da Inglaterra autorizou que se fizesse uma nova tradução, esperando livrar para sempre a Inglaterra da Bíblia de Genebra. O historiador teológico Alister McGrath declara que “o maior obstáculo enfrentado pela versão King James, à medida que ela procurava estabelecer-se no século 17, foi a contínua popularidade da Bíblia de Genebra”. Por muitos anos, a Bíblia de Genebra foi a preferida do público, e permaneceu como Bíblia oficial na Escócia. Novas edições  da Bíblia de Genebra só continuaram a ser produzidas até 1644…A Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira observou que um “exame da Bíblia King James, de 1611, mostra que seus tradutores  . . . foram influenciados mais pela versão de Genebra do que por qualquer outra versão inglesa”. Muitas inovações na apresentação e na tradução da Bíblia de Genebra foram incorporadas à Versão King James, incluindo frases distintas como “Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade” e “Salomão, em toda a sua glória”. — Eclesiastes 12.1; Mateus 6.29.

Evangelho segundo João 1.1-5 na Bíblia de Genebra
“O Santo Evangelho segundo João” 1.1-6 na Bíblia de Genebra…detalhe das ”notas” ao lado, à esquerda.

Influência duradoura

Embora tenha sido por fim substituída pela Versão Autorizada ou Versão King James, a Bíblia de Genebra ocupa um lugar importante na história da Literatura. Ela não apenas estabeleceu novos padrões de tradução e apresentação, mas continua sendo um elo vital na corrente de traduções de Bíblias inglesas; Além de promover a leitura e o estudo bíblicos entre grande variedade de pessoas que, de outra maneira, talvez não tivessem tido acesso a ela. Por abrir caminho para a Bíblia King James, a Bíblia de Genebra garantiu também que certas frases bíblicas fossem introduzidas na Literatura e na língua inglesa. Assim, mesmo que a Bíblia de Genebra tenha sido esquecida pela maioria das pessoas, ela sem dúvida deixou sua marca pelo que verazmente é, a palavra de Deus!

==================

P.S. “Em homenagem à Bíblia de Genebra, a foto no início deste site é de uma cópia original da Bíblia de Genebra…”

Ler mais sobre a Bíblia de Genebra em:

* http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/102004604

* https://pt.wikipedia.org/wiki/B%C3%ADblia_de_Estudos_de_Genebra

* http://www.internautascristaos.com/blog/biblia-de-estudo-de-genebra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s